Marcelo Bacci

Marcelo Bacci

Marcelo Bacci

Marcelo Bacci nasceu em 1927, em Grosseto, Itália. Em 1949 a convite de amigos começou a manter contatos paranormais quando trabalhava em Londres.

Iniciou suas tentativas  no  início dos anos 60 passando por uma grande variedade de metodologias. Depois de alguns anos de experiência com a fita a investigação tem-se centrado sobre a recepção de vozes paranormais através de um tubo de rádio-recepção.

O uso do rádio como uma ferramenta adequada para a recepção de vozes paranormais foi sugerido pelos mesmos espíritos que Bacci gravava em fita.

Os contatos com os rádio são feitos hoje com detalhes e sujeitos a presença de Marcello Bacci,  com energias psíquicas  o elemento catalisador misterioso “que não são científicos, mas de outra ordem”, como os espíritos explicam.

As tentativas de estabelecimento de contacto, na ausência de Bacci sempre deram resultados negativos, confirmando o papel do investigador psíquico.Com um gravador comum e em pouco tempo conseguiu a primeira gravação magnética das vozes. Em seu livro, conta que certa tarde evocou “Nando S.”, um amigo muito querido,desaparecido há pouco tempo e cuja morte ainda não conseguia aceitar: Bacci evocou espírito de “Nando S.” e quando passou a escuta da fita logo após a evocação ouve : – “ Nando S. está aqui “ !

Bacci reconheceu imediatamente o timbre da voz.

Um pouco mais tarde junta-se a ele o advogado que se tornou seu parceiro. Luciano Capitani , jornalista, professor de Direito em Grosseto exerceu a profissão de advogado. Por mais de duas décadas tem sido um companheiro de Marcello Bacci no estudo e experimentação de EVP criando o que hoje é chamado de “O Grupo de Grosseto.”
Ele contribuiu para diversas publicações e participou como orador em diversas conferências.

Em 1917 iniciou seus experimentos com o rádio.

O método de contato de Bacci e Luciano Capitani é simples.  O modo habitual: sintoniza Bacci o rádio a uma frequência de onda curta à procura de uma transmissão , depois de uma espera que pode ser muito curta ou durar mais de meia hora, o transportador sofre uma mudança,  desaparece o ruído e consegue – se  manter um tom especial. Podemos compará-lo a um vórtice de vento na abordagem, que é repetida várias vezes em intervalos curtos.

Depois que é eliminado o ruído de fundo  as vozes paranormais começam  a falar estabelecendo um diálogo real, com pausas durante o qual os experimentadores ou pessoas presentes como convidados podem falar e fazer perguntas.

Os contatos têm uma duração média de cerca de 25/30 minutos, mas houve intervenções que continuou por cerca de uma hora.

Devido ao pioneirismo desses dois dedicados transcomunicadores italianos, contemporâneos de Jürgenson e Raudive que a TCI se expandiu de maneira intensa na Itália.

Em 1994 – A  Fundação Suíça de Parapsicologia  (Schweizerische Vereinigung für Parapsichologie), presidida pelo Dott.Theo Locher deu o suíço-Prize 1994 – o Centro de Investigação Psicofonica dirigido por Marcello Bacci de Grosseto a ser realizado ao longo de três décadas um teste sério e rigoroso em campo de EVP e do trabalho constante realizado através da divulgação de publicações.

Marcello Bacci e Silvana Pagnotta foram nomeados membros do Conselho de Administração da Associação Internacional para o ITC. I.N.I.T. (Rede Internacional para a Transcomunicação Instrumental)

2001  A Rede de Televisão  Suíça italiana realiza e divulga um relatório completo e detalhado sobre experimentos centro psicofônico de Grosseto.

Fonte:  Transcomunicação –  Comunicação tecnológica com o mundo dos “mortos” – Clóvis Nunes – Editora Edicel.

Posts Relacionados