François Brune

François Brune

   François Brune              

François Charles Antoine Brune, sacerdote da Ordem de São Suplício da Igreja Católica, nasceu em 18 de agosto de 1931, em Vennon, França. Instalou-se posteriormente em Paris, onde até hoje reside.

Bacharel em Latim, Grego e Filosofia, complementado por quatro anos de curso superior em Latim e Grego na Univrsidade da Sorbone. Seis anos de Gran Seminaire, sendo cinco anos no “Institut Catholique de Paris”  e um ano na Universidade de Tubingen. Estudou idiomas antigos Assírios-Babilônicos, Hebraico e Egípcio-hieróglifo. Licenciado em Teologia pelo “Intitut Catholique” em 1960. Licenciado em Escritura Sagrada pelo Instituto Bíblico de Roma em 1964.

Durante sete anos foi professor de diversos Grans Seminaires. Fez estudos, pessoalmente, da Tradição dos Cristãos do Oriente  ( Igrejas Místicas do Ocidente e do Oriente, Cristã e não Cristã ). Realizou, pessoalmente, pesquisas de fenômenos paranormais. Fez parte do comitê de pesquisas da Organização Internacional para os Estudos de Experiências de Quase Morte. É também membro de diversas associações européias de Transcomunicação instrumental.

Autor de três livros publicados: um sobre Teologia e outros dois de Transcomunicação instrumental.

François Brune é também conferencista Internacional na área de assuntos relacionados com a sobrevivência da alma, autor de artigos em revistas francesas e de outros países. Participou de entrevistas em periódicos e em numerosos programas de rádio e TV, tanto na França como em muitos outros países. O padre Brune domina fluentemente os idiomas : alemão, inglês, espanhol italiano e português.

Ele esteve no Brasil por três vezes. Junto com o professor Clóvis Nunes preparou diversas prévias do segundo Congresso Internacional, que se realizou no grande parque de convenções no Anhembi em São Paulo, em maio de 1992.

Sua entrevistas são extensas e muito substanciosas por isso iremos resumir em pouquíssimos trechos ou tópicos abaixo :

                    “A sobrevivência do homem está em vias de impor-se como uma evidência científica.”

                    “A alma após a morte conservará um contato com o mundo material.”

                    “Alguns defuntos continuam a habitar entre nós, invisíveis, infelizes.”

                     “O Vaticano tem incentivado as pesquisas sobre o registro de vozes do Além.”

Por parte da Igrja Católica, o padre nos falou pessoalmente que o interesse nessas pesquisas se intensificaram, desde o apoio do papa Paulo VI em 1969.

François tem viajado o mundo e, incansávelmente, tem proferido conferências nos principais congressos internacionais que se realizam para discutir as questões da sobrevivência. Com sua inconfundível coragem e o carisma que lhe é peculiar, vai semeando esperanças por onde passa.

Fonte: Transcomunicação – Comunicações tecnológicas com o mundo dos “mortos” – Clóvis Nunes – Editora Edicel.

Posts Relacionados